Raquel Martins

Publicado: Fevereiro 6, 2016
Homem Sem Rosto
por Laura Campanér
laura.campaner@bol.com.br

Lançando seu segundo CD autoral Homem Sem Rosto, a cantora, compositora e violonista Raquel Martins projeta novamente suas ideias sobre a MPB contemporânea recheando seu disco com samba-rock, pop-rock, baião e baladas.

Baseando sua concepção sonora na linguagem do antigo LP, Raquel sugestivamente dividiu em dois lados sua estética, quando colocou para a sequência das músicas os títulos de Lado A e Lado B, repartindo assim as canções mais dançantes das mais introspectivas que se seguem.CD_HOMEM_SEM_ROSTO

O disco teve a produção musical e mixagem de Pedro Arantes, responsável pela produtora e selo Coaxo do Sapo e filho de Guilherme Arantes, que participa da faixa “Mais Cedo”, com a execução inconfundível de seu piano. Perguntada sobre a participação de Guilherme Arantes no CD Raquel confirma: ”Ter a participação do Guilherme no meu disco foi uma surpresa pra lá de agradável. Ele é um craque da música pop e uma forte referência na minha formação musical”.

O insinuante título “Homem Sem Rosto”, tirado da canção homônima, faz do disco uma crítica ao estereótipo de consumo da vida moderna, à imitação de padrões de comportamento forjados pelas mídias e outros automatismos dos dias de hoje. A letra diz: “dentro dele não tem ninguém / Se perdeu na tela da TV, cobiçando o que ali tem / se fundiu na lama, pensando que assim se alcança / a glória de não ser ninguém”. Na capa do CD o Homem TV, sem um rosto autêntico, ou melhor, com todos os rostos possíveis para serem trocados “a gosto do freguês”, completa sua reflexão musical com assinatura: o desenho foi feito pela própria Raquel.

RAQUEL_MARTINS_FOTO_LAURA_CAMPANER2Mas não é só crítica sua visão. Raquel também abre espaço para a descontração no ritmo do sambalanço que embala as canções “O Som da Massa” e “No Vai e Vem do Metrô” sobre o cotidiano da metrópole e para a exaltação da dança em Ziriguidum, que se completam em sonoridade pelas mãos de Pedro Arantes.

Participa do trabalho a saxofonista Bia Clemente e autora das letras das canções ”Pérolas” e “Mais Cedo” e ainda Mateus Schanoski (teclado), Bruna Picazzio (percussão), Luis Antunes e Lilo Cazarini (bateria), Almir Marques e Ronaldo Gama (baixo), Betinho (percussão), DJ Negrathia e a preparadora vocal Alessandra Grani.

Saiba mais:

Nascida no Estado do Rio de Janeiro, Raquel Martins mora em São Paulo desde 2001, adotando a Paulicéia como cidade do coração. Formada em violão popular pela EMESP (antiga Universidade Livre de Música Tom Jobim) e Bacharel em Música pela Faculdade Mozarteum em São Paulo, Raquel mantem sua pesquisa musical em constante aprofundamento como Mestranda da USP, onde pesquisa gêneros musicais urbanos e juvenis como o rap e o funk. Com 20 anos de carreira, já tocou na noite paulistana em trabalhos solo de voz e violão, como também em bandas como Gandaia e Groove de Saia. Atualmente é uma das integrantes do quarteto vocal feminino Batuque das Sinhás, atuando com violão e voz. Sua discografia tem como estreia o CD “No vai e vem do metrô” de 2008, lançado com selo independente.

 

LINK PARA OUVI-LO

https://www.dropbox.com/sh/ikmqvytv20lav5v/AAAYZFxgudkeHct-P6HnBhK8a?dl=0

(obs: é preciso baixar as músicas para ouvi-las.)

MAIS INFORMAÇÕES SOBRE RAQUEL MARTINS

www.raquelmartins.com.br

www.facebook.com/raquelmartinsfanpage