fado_brasil_foto_laura_campaner_5

Fado Brasil

Publicado: novembro 1, 2016
Música tradicional portuguesa
por Laura Campanér
laura.campaner@bol.com.br

Muita gente pode discordar mas é fato a influência da música portuguesa no Brasil.

Conhecida por sua miscelânea, a música brasileira tem como destaque comprovado a influência africana, no ritmo, nos gêneros musicais etc. Mas que outras afinidades musicais o Brasil possui?

No caldeirão musical estão mais alguns ingredientes do molho: o rock, o pop, o blues, o jazz, soul, o bolero, o regional que se desdobra em diferentes vertente e sabe-se lá mais o que! Mas pouco se fala das semelhanças entre a música portuguesa e a brasileira. Mas ela existe!

Seria quase impossível um país colonizado por portugueses não ter influência de sua cultura. Ela está na arquitetura, na gastronomia, na moral e bons costumes e como não poderia deixar de ser, na música. Mas aonde? Alguém pode perguntar. Digo já: na canção!

Toda canção mais lenta, mais chorosa, intimista, saudosa e muitos outros adjetivos do tipo estão presentes nas canções brasileiras. E isso é claro vem de longe, dos tempos das modinhas, das serestas, mas que foram passando de geração a geração e se transformando em novas canções e estilos, nas mãos dos mais variados compositores.

fado_brasil_foto_laura_campaner_4

foto: Laura Campanér

Seguindo essa linha de pensamento, mas também mantendo a tradição do cantar português, o duo Fado Brasil focou seu repertório na canção popular portuguesa, fazendo essencialmente um resgate às tradições luso-brasileiras.

Idealizado pelo violonista Adilson Casemiro e pelo bandolinista Humberto Casimiro (Beto Casimiro), o Fado Brasil tem Milla Fernandes como cantora convidada para acompanha-los em alguns shows.

A proximidade com a música portuguesa vem através do bandolim e seu parentesco com a guitarra portuguesa, instrumentos que Beto Casimiro domina e que acrescenta ao trabalho, trazendo a sonoridade melancólica que a música portuguesa tem como característica.

Saiba mais:

Beto Casemiro ingressou na música aos 15 anos de idade através do cavaquinho por influência das rodas de Choro na casa de seu avô. Aos 22 anos passou para o bandolim, ingressando na “FUNDART” em São Caetano do Sul-SP, formando-se aos 29 anos em bandolim na Universidade Livre de Música Tom Jobim em São Paulo.

Adilson Casemiro, seu tio, é cantor e violonista com formação em música popular adquirida na Universidade Livre de Música Tom Jobim em São Paulo, onde estudou o instrumento.

Fado Brasil – Nem às paredes confesso (Artur Ribeiro/Ferrer Trindade)